quinta-feira, 31 de março de 2011

Parto Humanizado

 

Isto do parto tem muito que se lhe diga! Quando ouvia falar em parto natural pensava num parto normal, sem recurso a cesariana. Mas na verdade, o parto natural ou humanizado é muito mais que isso. É dar a possibilidade à mulher de escolher o seu próprio percurso durante o trabalho de parto e o próprio parto.
É verdade que a ideia da epidural agrada a muitas mulheres e nem sequer pensam em não a ter. Mas se avaliarmos bem as consequências vale a pena pensar um pouco sobre o assunto. A epidural livra a mãe de algumas dores mas também a impede de sentir o seu bebé durante o trabalho de parto. É esta sensação de movimento que ajuda a mulher a perceber onde se encontra o seu bebé, sabendo assim quando e quanta força deve fazer para ajudar o seu bebé a nascer. Muitas vezes, os partos com recurso a epidural terminam com a utilização de forceps ou ventosas, precisamente porque a mãe não consegue auxiliar.
Além disso, há outros procedimentos que se podem evitar, como o soro ou a ocitocina sintética. O nosso corpo durante o trabalho de parto produz ocitocina natural (hormona do amor).


O Hospital S. João, no Porto, Garcia de Horta em Almada, a Maternidade Alfredo da Costa em Lisboa, o Centro Hospitalar de Setúbal já estão mais sensibilizados para estas questões tendo criado espaços de maior conforto para as mulheres e dando-lhes a possibilidade de planear o seu parto. O Centro Hospitalar de Setúbal é, até ao momento o único espaço preparado para que as mulheres possam optar pelo parto na água.

Atenção: Cada caso é um caso e poderão haver gravidezes de risco ou complicações durante o trabalho de parto que podem obrigar a que se façam algumas alterações no plano inicialmente traçado. O importante é a mulher sentir-se segura e protagonista de todo o processo.

Se alguém tem alguma experiência de parto natural, no hospital ou em casa, partilhem. Obrigada