quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Praxes





Não se compreende como é possível permitirem que situações destas se repitam!!! Acidentes e mortes em contexto de praxe já aconteceram e não consigo mesmo entender como nada é feito. Em termos radicais, se os estudantes não são suficientemente capazes de fazer das praxes um momento de enriquecimento para os novos alunos então acabem com essa tradição!! Quantos mais jovens vão ter que morrer? Quantas mais famílias vão ficar desfeitas?

Penso que as "praxes" deveriam ser um momento em que os novos alunos são integrados no meio académico, com atividades entre todos e a designação da madrinha ou padrinho para acompanhar e apoiar. Sei que não se pode generalizar porque cada estabelecimento de ensino tem as suas tradições em relação às praxes. Mas parece-me que a ideia que o público em geral tem é que estes são momentos de humilhação, festas, bebedeiras...é tudo muito divertido até ao dia em que corre mal! Não tenho nada contra... o que é feito com conta, peso e medida e em consciência. Não há mal nenhum em haver diversão, sem exageros que culminam em situações menos agradáveis.
Para os estudantes deixo uma mensagem: não se sintam obrigados a participar no que quer que seja apenas para serem "aceites"! Não vão ser melhores profissionais por passarem nas praxes com distinção! Para tudo há limites e há que saber dizer NÃO!
Para os pais: sei que por vezes é muito difícil fazer com que os jovens nesta idade compreendam o que lhes tentam alertar, por vezes só mesmo errando se aprende. Mas é importante conversar, alertar, aconselhar e estar sempre atento a possíveis alterações de comportamento para que se possam prevenir determinadas situações.

Parece-me que este é um assunto que merece atenção para que se verifiquem mudanças. Notícias como esta não são admissíveis. Como diz o senhor na reportagem, parecia que estavam a fazer testes de admissão nos fuzileiros!!!
Fiquem atentos!