terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sintomas de Gravidez

Prof. Dr. Jorge Branco – Maternidade Alfredo da Costa  

Embora não sejam exclusivos da gravidez, esta faz-se frequentemente acompanhar de algumas queixas que, dentro de certos limites, são consideradas sem relevância clínica e não têm consequências negativas nem para a grávida nem para o feto.
Assim, pouco tempo depois da falta menstrual, ou mesmo um pouco antes dela, é normal sentir um ou mais dos seguintes sintomas: 

Hipersensibilidade mamária ou mamilar
É uma das primeiras alterações físicas relacionadas com o início da gravidez: passar a “sentir que tem mamas”! Pode sentir hipersensibilidade, peso e dor ligeira persistente ou sensação de enchimento e peso e, um pouco mais tarde, rápido aumento de volume mamário. Claro que estas alterações (habitualmente mais intensas na primeira gravidez) são provocadas pelo aumento dos níveis circulantes das hormonas esteróides (estrogénios e progesterona).

Hemorragia genital ligeira
Algumas mulheres têm pequenas / ligeiras perdas de sangue por via vaginal (tipo spotting) mais ou menos coincidente com a suposta falta menstrual. Estas perdas são entendidas clinicamente como hemorragias da nidação ou implantação e podem acompanhar-se de moínhas pélvicas semelhantes às menstruais mas menos intensas.

Fadiga e sono
É muito frequente as senhoras referirem cansaço e, em especial, sonolência nas primeiras semanas da gravidez. Isto pode corresponder a uma simples forma de defesa em relação a trabalhos mais violentos ou a uma reacção natural do corpo ao grande esforço desenvolvido no início da gravidez e à consequente adaptação do organismo materno à nova situação [maior produção de hormonas (a progesterona é conhecida como natural depressora!), aumento do volume sanguíneo circulante, aumento do débito cardíaco, transporte de nutrientes para o feto…].

Náuseas e vómitos
As náuseas (enjoos) matinais, com ou sem vómitos, são dos mais frequentes sintomas relacionados com o primeiro trimestre da gravidez mas podem prolongar-se até mais tarde. As grávidas podem sentir também hipersensibilidade a alguns odores (alguns alimentos, tabaco, café, perfumes, etc.) que podem agravar as náuseas e vómitos.

Aumento da frequência urinária
Muitas grávidas referem aumento da frequência urinária, durante o 1º trimestre da gravidez, o que volta a acontecer no final da gestação porque o grande volume uterino limita a capacidade da bexiga.

Aversão a alguns alimentos
Ou pelo seu odor natural ou por alteração da sensibilidade gustativa em relação a determinados alimentos, causam a muitas grávidas repulsa a esses alimentos. Pelo contrário, também podem surgir apetites selectivos em relação a certos tipos de comida.

Obstipação
É também um sintoma frequente no decorrer da gravidez, provavelmente devido à lentidão da digestão por influência da maior concentração da progesterona circulante.

Alterações do humor
A gravidez é para a mulher um período de maior sensibilidade, podendo surgir com alguma frequência crises inexplicáveis de choro e de ansiedade como resultado de uma maior instabilidade emocional.

Cefaleias
Várias grávidas têm com frequência dores ligeiras de cabeça, em especial durante grande parte do 1º trimestre. Tal sintoma poderá ser consequência da adaptação ao aumento do volume circulante.